A infância após a morte

 O velho olhava para o seu jardim. Lá ficou a tarde inteira tentando lembrar de sua infância que agora estava tão distante que chegava até a perturbar suas emoções, por mais que tentasse nada lhe vinha a cabeça naquele momento, alguém havia apagado o que um dia lhe pertenceu. " Se não eu, quem já de lembrar disso?" gritou a velhinho, que para muitos soou mais como um sussurro. Depois de mais algum tempo o céu escureceu e a noite chegou. Diante dos seus olhos viu uma estrela sumir, um grande astro que lhe acompanhou bem antes até de seu nascimento, agora não mais existira. Isso lhe fez refletir, pensamentos que ninguém nunca vai descobrir, pois de repente ele se sentiu tonto e caiu. Deitado o velho sorria, menos após sua morte.  No dia seguinte levantou-se com a energia renovada e o coração saltitante, ele havia voltado a sua infância, onde sua morte na noite anterior era uma simples ilusão dá cabeça de um jovem menino.




Batista, Letícia

Comentários